Lumen ad Revelationem


Lumen ad Revelationem: Polifonia e Cantochão sobre a Luz

Este concerto centra-se na presença do tema da luz – comemorando o Ano Internacional da Luz 2015 – no cantochão e na polifonia dos séculos XVI e XVII. Rubricas como o introitus Lux fulgebit, para a Missa de Natal, ou as antífonas Speciosa facta es, Dignare me laudare e Lumen ad revelationem para a festa da Purificação da Virgem (conhecida popularmente como festa da Senhora das Candeias), trazem-nos a luz como revelação. O motete Jesu redemptor, para a litania pro defunctis, oferece-nos a luz como descanso assim como o motete O bone Jesu, para a Quaresma. Seguindo o quotidiano musical, aparece a Missa Ferialis de Estêvão de Brito que, como o nome sugere, destinava-se a ser cantada nos dias de feria (de semana), assim como a antífona Asperges me, para a aspersão da água durante a Missa, que era cantada todo o ano à excepção do Tempo Pascal.


Programa

  • Introitus: Lux fulgebit (P-EVad Mús. Lit. 32)
  • Filipe de Magalhães (c.1571-1652) – Jesu Redemptor a 3
  • Estêvão Lopes Morago (c.1575-c.1630) – O bone Jesu
  • Antífona: Lumen ad revelationem (P-EVad Mús. Lit. 32)
  • Duarte Lobo (c.1566-1646) – Asperges me
  • Estêvão de Brito (c.1575-1641) – Missa Ferialis (Kyrie-Sanctus-Agnus Dei)
  • Estêvão de Brito – Magnificat Primi Toni
  • Antifona: Speciosa facta es (P-EVad Mús. Lit. 68)
  • Antífona: Dignare me laudare (P-EVad Mús. Lit. 68)
  • Estêvão Lopes Morago – Lumen ad revelationem

OUVIR